Discursos e Manifestações da Sexualidade no Teatro - mst

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Discursos e Manifestações da Sexualidade no Teatro

Este trabalho é financiado por fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto «SFRH/BPD/117096/2016»




                                                                                                                                                         A essência do erotismo resulta  da                                                                                                       associação inextricável do prazer sexual                                                                                              com o interdito. Nunca, humanamente, o interdito aparece sem revelação do prazer, 
nem o prazer sem o sentimento do interdito.     
  George Bataille, in L'Erotisme
Autor deste site: Bruno Schiappa
Co-Autor deste site: Fábio Salgado


Inner Shadows, Bruno Schiappa, 1981

O tema da investigação associada a este site é “Manifestações da sexualidade na performance teatral: efeitos e consequências de âmbito estético, ético e político da estimulação sensual e erótica através da exibição e do voyeurismo ”. Tomar-se-á como objeto de análise um corpus de textos e imagens, referentes a espetáculos nacionais que, entre 2005 e 2010, exibiam elementos sexuais de modo mais ou menos patente, procurando restaurar o funcionamento e função dos mesmos, considerando que cumpriam seguramente projetos distintos. Será também recolhida informação produzida através de um inquérito on line para aferir conceitos, termos e discursos sobre a presença da sexualidade na performance teatral partilhados por artistas e espectadores. Paralelamente serão analisados três espetáculos selecionados, da Companhia João Garcia Miguel, Yerma; Los negros e os deuses do norte; A vida é sonho, procurando-se, através do cruzamento com o restante corpus, pontos de contacto e diferença e procedendo-se à sua categorização no âmbito da discussão em torno da manifestação da sexualidade na performance teatral, tendo em conta o contexto do trabalho/invenção artística e da ficção inerente à invenção teatral. Entre as consequências que daí decorrerem, interessar-nos-á particularmente a questão da manipulação e estimulação sexual, consciente, do espectador através de mecanismos de elaboração estética e espetacular e da repercussão ética e política, seja ela premeditada ou não. 


"O teatro, enquanto espaço de denúncia, questionamento e enquadramento social, oscilou sempre entre repressão e permissão. A sexualidade, enquanto conceito social, nasce no séc. XIX, quando a medicina se torna independente da igreja. Mas o ser humano é indissociável da pulsão e impulso sexual. No teatro, as manifestações e discursos de sexualidade estiveram sempre, de modo mais ou menos evidente, associadas ao estímulo – por via da fantasia, identificação e/ou projeção –, da liberdade individual e/ou coletiva. Neste site pretendemos criar um intercâmbio de estudos sobre os efeitos e consequências de ordem estética, ética e política do erotismo, voyeurismo e exibicionismo, nas práticas teatrais. Partimos da premissa de que a sexualidade envolve todos os sentimentos e sensações que surgem quando alguém diz que é masculino ou feminino. Partimos, também, da premissa atual de que o género de cada indivíduo não é algo natural mas sim fruto de uma cultura. A sexualidade não se limita apenas aos órgãos sexuais e ao ato sexual. É, antes, uma forma de estar num corpo enquanto indivíduo com pulsões, impulsos e desejos sexuais que se traduzem no modo de pensar, sentir e agir de cada um." © Bruno Schiappa